Por Compro Ouro BH Publicado em: 25/mar/2015

Pesquisadores descobrem novo método para extração do ouro

A história da extração de ouro se confunde com o próprio povoamento e desenvolvimento do Brasil. Na verdade, é muito mais antiga que o nosso país, e esse metal foi sempre associado a valores nobres e luxuosos. Assim, por exemplo, moedas antigas e a estátua do célebre faraó Tutancâmon foram cunhadas a ouro.

Material resistente à corrosão, de excelente condutividade elétrica e muito maleável, o uso do ouro nas culturas antigas e modernas vai muito além da confecção de joias. Com ele, fabricam-se cabos, ligas, filamentos, circuitos eletrônicos e até as viseiras dos capacetes dos astronautas.

Neste artigo, você conhecerá um pouco sobre a história da extração de ouro, assim como saberá de uma nova descoberta que pode simplificar muito sua exploração, do ponto de vista da sustentabilidade e saúde dos garimpeiros. Leia até o fim!

Mina_Ouro

A extração de ouro ao longo da História do Brasil

A maior parte das técnicas utilizadas para extrair ouro no país começaram a ser desenvolvidas ou implementadas ao longo do século 18, auge da extração, compra e venda de joias, e do metal bruto para outras finalidades.

Essa época ficou conhecida na nossa História como o “Ciclo do Ouro”, e compreende a ascensão de diversas cidades mineiras como Diamantina e Ouro Preto, em decorrência da extração do metal. Abaixo, você confere os métodos mais comuns utilizados nos garimpos brasileiros desde então!

Ouro de aluvião

Por aluvião, entende-se a inundação de terras por ação de rios ou águas da chuva. Esse método extrativo leva esse nome porque ocorria nas margens dos rios que os escravos, de origem africana, “peneiravam” as pedras e outros materiais em busca das pepitas de ouro.

Para tal, usavam a bateia, uma espécie de peneira adaptada para esse fim. Tratava-se de um método barato, porém, mal otimizado, e a mão de obra dos negros escravizados, infelizmente, era explorada ao extremo.

Ouro de minas subterrâneas

Caro e trabalhoso, esse modelo de extração foi pouco utilizado durante o Ciclo do Ouro, embora nunca deixasse de ser uma opção para os donos de terrenos onde as cavernas ricas em pedras preciosas estavam presentes.

Era também muito arriscado, por causa dos constantes desabamentos e acidentes. Para realizar explosões sem abalar as estruturas das minas, era necessária a intervenção de engenheiros e outros profissionais especializados.

Ouro de grupiara

A grupiara é o método utilizado para encontrar ouro na encosta de montanhas. Uma complexa estrutura era montada, de modo que o cascalho e pedras extraídos nessas localidades fossem transportadas — por meio das chamadas “rodas d’água” — para rios próximos, onde os garimpeiros usavam a bateia para peneirar o ouro.

A extração de ouro com cianeto

Atualmente a extração do ouro é feita com o auxílio de sais de cianeto, composto químico tóxico, que gera impactos ambientais e riscos à saúde humana. O contato com o cianeto pode causar dores de cabeça, náusea, desmaio, vômito, taquicardia, dispneia, convulsões e até mesmo parada cardíaca, por isso esse processo é sempre feito sob a supervisão de empresas especializadas.

Para o meio ambiente, essa substância também é danosa, podendo contaminar o ambiente. Ele é utilizado para dissolver o ouro e extraí-lo em forma líquida, quando misturado a outros metais.

Um novo método para a extração de ouro ecologicamente correto

Recentemente, cientistas da Universidade Northwestern, nos EUA, descobriram acidentalmente que o cianeto pode ser substituído por amido de milho. O processo envolve inúmeras e complexas reações químicas e oferece uma alternativa barata e ecologicamente correta.

A descoberta surgiu enquanto eram realizadas pesquisas sobre a construção de estruturas para armazenar gases utilizando ouro e amido. A mistura dos dois acabou resultando em uma maneira inusitada de isolar o metal de qualquer outra substância.

Agora, o desafio é conseguir um modelo para que a nova técnica possa ser utilizada em grande escala, como uma maneira barata, não tóxica e sustentável de extração do metal.

O ouro, sua utilidade e o valor conferido a ele, confundem-se com a História do Brasil e de outros povos mais antigos. Espera-se que com métodos menos invasivos e mais sustentáveis de extração desse mineral, seja possível baratear seu preço final e preservar o meio ambiente.

Se, além dos métodos de extração de ouro, você ficou interessado também pela aplicação desse material na indústria e confecção de joias e materiais, não deixe de ler o nosso artigo sobre as diferenças entre ligas de ouro e teor em quilates!


Por Compro Ouro BH Publicado em: 25/mar/2015

Receba nossas dicas