Como fazer um testamento? Entenda aqui o que é necessário

Quem tem filhos ou parentes queridos, se é prudente, busca refletir sobre como fazer um testamento. Afinal de contas, embora a morte seja um tema difícil, ela é também uma certeza.

Como fazer um testamento

Na hora de pensar na herança, entretanto, algumas dúvidas surgem, principalmente no caso da partilha das joias, que pode ser feita por meio de empresas do ramo. Por isso, que tal continuar a leitura do post e aprender dicas práticas sobre o tema? Confira a seguir!

Qual é a importância de um testamento?

Fazer o testamento evita brigas entre herdeiros e assegura que o patrimônio não se perca durante possíveis disputas. Além disso, esse é o modo mais fácil de se respeitar os últimos desejos de um familiar.

Esse documento pode ser feito em qualquer fase da vida, desde que a pessoa não tenha problemas físicos ou mentais que possam comprometer a validação do acordo, como é o caso do Alzheimer.

Também vale lembrar que, se mais de um testamento tiver sido feito, valerá o mais atual. Além disso, é importante analisar qualquer tipo de brecha para que o documento não seja alvo de ações judiciais.

Como fazer um testamento?

Primeiramente, é preciso saber quais são os tipos de testamento disponíveis. A primeira opção é fazer um testamento público, que é escrito por um tabelião em cartório. Essa é a forma mais formal e popular entre as possibilidades de se distribuir uma herança.

Nesse caso, o documento é redigido, lavrado, lido em voz alta diante de duas testemunhas e depois assinado. Outra opção é o testamento cerrado, que já é levado pronto para o cartório para ser autenticado, sem que as vontades do testador sejam publicizadas.

Assim, o que foi decidido no documento só é descoberto mediante cumprimento judicial após o falecimento. Já no caso do testamento particular, não há a participação de agentes do estado.

O interessado redige o material e o lê para três testemunhas que, junto com ele, assinam o documento. Depois, o testamento é guardado por um particular, que deve apresentá-lo após a ocorrência da morte.

Como fazer a partilha dos bens e das joias?

De maneira geral, só se pode dispor de 50% dos bens materiais em um testamento. Isso acontece porque a outra metade deve ser obrigatoriamente destinada aos herdeiros necessários como por exemplo: filhos, pais e cônjuge.

As joias, assim como outros objetos (a exemplo de obras de arte), podem fazer parte do testamento. Entretanto, outa opção para peças de ouro e joias que se queira deixar como herança é fazer a partilha em vida por meio de empresas especializadas na comercialização desse tipo de produto.

Um exemplo de empresa segura e reconhecida no setor é a Compro Ouro BH, que tem tradição no mercado, equipe especializada em lidar com esse tipo de cenário e é aberta a negociações.

Como vimos, na hora de aprender como fazer um testamento é preciso considerar a importância desse documento para evitar brigas familiares e perda de patrimônio. Ao mesmo tempo, deve-se considerar o tipo de registro mais adequado para cada caso, a exemplo do testamento público, cerrado ou particular.

Outra dica é pensar na partilha de joias por meio de empresas especializadas, de maneira a facilitar a distribuição dos bens entre os entes queridos.

Gostou das dicas? Entre em contato conosco e veja o que mais podemos fazer para você na hora de avaliar a venda de ouro e joias!